Um antigo inverno...


14:55 Hs. Estou fitando meus mais velhos livros empoeirados no canto, encima de uma mesinha baixa de madeira. O vento que entra pela janela aberta se acomoda no interior deles, entre as páginas que um dia foram lidas por mim...

Quando eu quiser rir ou chorar é só abrir um destes livros. Por que aquela historia estará sempre eternizada ali, em meio a tantas paginas... A espera que alguém o pegue e mergulhe de cabeça na sua historia dramática...

... Mais estes livros não me trazem só as lembranças dos seus conteúdos, junto com eles vem uma forte lembrança da época em que eles ainda eram novidades pra mim...

E os livros porém tem algo em comum com com a vida real. Não importa o quanto durem, chega um tempo em que eles acabam, assim como os momentos, assim como a própria vida. Só que nos livros você pode reviver um passado distante, e no entanto, na vida real só cabe a você lembrar... E as lembranças com o passa tempo vão ficando fracas, perdendo o sentido, se tornando vazias e assim se afogando no mar do esquecimento...

E foi em uma tarde como esta, a mais ou menos nesta mesma hora, em que meu passado distante me chamou de volta e para aquele lugar, eu mais uma vez fui levado...

Estávamos todos lá, debaixo daquela chuva de inverno, sentados um perto do outro, éramos naquele tempo, amigos para sempre, só não sabíamos que este "para sempre" nunca existiu...

... Sim, claro que eu posso ouvir as nossas risadas, eu até posso me ver la sentado, encostado com meus velhos amigos... Como eu era feliz, naquele tempo eu já sabia o que era um sorriso, por isso sorria compulsoriamente de coisas sem graça...

E sabe, eu não pude sentir aquela mesma alegria, ver meus antigos sorrisos me trazia uma mágoa cortante, uma mágoa que é idêntica a essa que carrego comigo agora, por que eu perdi completamente a minha graça...

E então a chuva que até então estava boa, começou a piorar, e de repente estávamos todos em baixo de uma tempestade carregada de raios e trovões...

...E assim fomos obrigados a entrar em casa, pois aqueles trovões nos causavam arrepios...

E foi este exato fato que me trouxe de volta ao meu passado:

A casa estava escura, então acendemos velas bem ali, onde todos estávamos deitados sobre alguns lençóis no sofá. E foi aquele livro, aquele belo livro de capa negra que me chamou atenção... Então eu o peguei, o abrir e comecei a ler aquelas palavras de um forma maravilhosamente bem pra minha tão pouca idade. Todos ouviam atentamente a historia de uma ave negra, que estava se afogando em uma lagoa distante, as vezes interrompendo, as vezes rindo e as vezes chorando ao me escutarem lendo minha historia...

... E enfim meu devaneio foi criando gosto de fim, eu eu fui acordado pelo som dos meus próprios soluços.... E bem ali, sobre aquela mesa empoeirada estava o mesmo livro um dia tocado, o mesmo livro que eu li em um inverno passado pra meus amigos que hoje eu nem sei se ainda estão a existir...

... Sua capa negra continua brilhante e, com lágrimas nos olhos eu me levantei pra ir busca-lo, e ao virar sua capa, lá estava escrito com letras infantis os nomes dos meus velhos amigos...

12 Comentários

  1. É um texto cheio de saudade...
    Me sinto assim tb com musica.
    Cada cena da minha vida eu transfiro para alguma musica. Qdo, de repente, ouço uma musica mais antiga, me lembro dos momentos vividos.. de alguem... sempre vem saudade, alegria ou nao....

    Assim sao nossas lembranças.

    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Olá Rick


    Havia algum tempo que não passava por aqui , está FABULOSO !

    Lindo mesmo adorei o layout e a forma como evoluiu na escrita , parabéns Rick!



    Beijos da azeda Limom Girl !

    =D cuida-te !

    ResponderExcluir
  3. Olá Rick


    Havia algum tempo que não passava por aqui , está FABULOSO !

    Lindo mesmo adorei o layout e a forma como evoluiu na escrita , parabéns Rick!



    Beijos da azeda Limom Girl !

    =D cuida-te !

    ResponderExcluir
  4. eu tenho um selo pra você no meu blog: sonhos-de-adolescentes.blogspot.com Espero que você goste

    ResponderExcluir
  5. Agradecendo a passagem pelo Alma do Poeta!

    Éclaro que estarei sempre por aqui, este texto lembra-me quandp tudo o que podia contar, era com a minha velha e solta imaginação, sem ajuda, não haviam livros, de longe um almanaque encontrado por ai.

    Eu adorei meu amigo!

    Espero por você no Alma!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. O que acabei de ler é de emocionar... =D

    É um devaneio gostoso de se sentir, o inverno para mim é uma época que gosto muito e também de livros, assim me identifiquei com os objetos do texto...São lembranças que se guardam e relembra-las é maravilhoso e ao mesmo tempo envolve uma densa nostalgia... =D

    Estava esperando minha visita, eu vim aqui pude usar bem este tempo lendo esse encantador texto. Acompanharei o blog ;)

    Bjos!

    ResponderExcluir
  7. Olá querido (:
    Primeiramente queria te agradecer por passar sempre pelo meu blog e comentar nele. Saiba que seus comentários são uns dos que mais me incentivam! E queria também pedir desculpas por não retribuir todo esse carinho... as coisas andam corridas e complicadas por aqui, sabe como é, inicio de ano e tudo de ponta cabeça. HAHAHA

    Lindo texto, e escreves perfeitamente bem (:

    :*

    ResponderExcluir
  8. Olá amoree. Desculpe o sumiço. Por problemas pessoais resolvi abandonar um pouquinho o blog.

    Preciso da sua opinião. Entre no blog e opine:

    http://doce-meio-amargo.blogspot.com/


    bjos

    Nina

    ResponderExcluir
  9. Muito lindo o blog"
    Bjws amei o seu blog"
    Sempre voltarei"
    G!

    ResponderExcluir
  10. Oiee, adoreei esse texto, muito lindo mesmo!!!

    Bjsss..
    Gabii

    ResponderExcluir
  11. Lindo... nostalgico e gostoso de ler!

    Sabia q to fazendo niver de blog??
    Pois é...1 ano ja! Ai to fazendo postagens especiais. Ta convidada pra festa =D

    Passa lá!

    BeijO*-*
    http://evesimplesassim.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Lindo esse texto... Me levou ao passado... Me emocionei. Obrigada

    ResponderExcluir

Se você realmente leu, me importa sua opinião. Fique a vontade...