Pode-se tentar lutar




Quando tinha metade da sua idade vi minha mãe chorando no canto. Alguma coisa me dizia que aquelas lágrimas eram causadas pelo amor, porque era, sem dúvidas, este o único motivo evidente da gente ainda continuar naquela casa. Ela, querendo ou não, ainda amava aquele desgraçado. Eram as lágrimas mais dolorosas, as lágrimas mais sofridas, as lágrimas que expulsavam de dentro pra fora os sonhos de toda uma vida... Aquele era um sofrimento que eu certamente não queria pra mim. Sempre fui convicto disso. Eu jamais poderia conviver comigo mesmo amando alguém que não presta. E assim, porém, cresci com o intuito de não me apaixonar por ninguém neste mundo cruel onde a gente não escolhe de quem vamos gostar.
Até o infeliz dia em que por descuido eu conheci Joaquim Silvestres, o balconista da locadora de filmes do meu bairro.
Ele me sorriu e se tornou uma exceção logo de cara. Quando eu percebi, a vida já tinha me dando uma rasteira e eu estava no chão. Joaquim já tinha namorado e não o deixaria para ficar comigo, mas mesmo assim queria me manter por perto. Então, quando se ama alguém que vai te fazer sofrer, o que você faz? Tenta fugir? Quais são as alternativas? Como não sofrer, como não chorar, como sair de um impasse em que você já é intimo? Como não estragar com a vida toda, se este é seu maior motivo pra estar vivo...

2 Comentários

  1. lindo rick ..
    não há como amar sem sofrer :/ pelo menos eu acho ..

    ResponderExcluir
  2. muito bonito, é realmente não há como amar e não sofrer.

    http://freesante.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Se você realmente leu, me importa sua opinião. Fique a vontade...