Eu sozinho, comigo mesmo

Ainda escrevo naquele caderno.
Rabiscos sobre eu e você e sobre solidão.



Ainda me emociono com todas aquelas coisas que você escreveu pra mim, ainda relembro os bons momentos e passo horas olhando para as fotos. Eu ainda não sei o que vou fazer a partir daqui. Eu nunca pensei que seria assim. As coisas aconteceram tão diferente do eu suspeitava e chega a ser estranho ter que conviver com isso agora. Por que os dias passaram, mas eu continuo bem aqui. Continuo esperando que aconteça como eu previ que fosse. E espero sempre no mesmo lugar, como se só a lembrança de você lá me trouxesse um pouco mais de tranquilidade e acalmasse a minha alma.
Mas você não veio hoje.
Mas você nunca mais voltou.
E eu tenho que voltar pra casa, já é tarde.
É como se você tivesse levado uma parte de mim.
Uma parte que eu sei que não vai voltar.

3 Comentários

  1. Rick, eu estava com saudade do nóstudinhos.

    Ás vezes, as pessoas acabam pegando para si um pedaço enorme da gente e parece que mesmo faltando um pedaço, estamos com um peso a mais, o peso da saudade, da incerteza, do coração aflito.
    Eu espero que este alguém volte pra você e te traga o que levou consigo.

    ResponderExcluir
  2. Rick,


    Senti sua falta , saiba que também adoro seu espaço , seus escritos.

    Um texto lindo , cheio de sensibilidade , de amor ...
    São os percalços da vida , dos amores das idas e vindas.
    Muito lindo te ler.


    Bjo Grande !

    ResponderExcluir
  3. Não conheço nada que faça sofrer mais. Sinceramente.

    Um beijo.

    ResponderExcluir

Se você realmente leu, me importa sua opinião. Fique a vontade...