- Lembranças na janela...


Há muito tempo, sobre este mesmo caderno, eu estava escrevendo sobre a gente. Acontece que naquele tempo as coisas pareciam realmente eternas, tão boas que poderiam sim ter um tempo prolongado. Pra muito além do que imaginávamos.

Talvez, se o destino conspirasse ao nosso favor e aquele trem das 04h30 tivesse atrasado, eu teria o tempo necessário pra te convencer a ficar. Talvez não fosse pra ser mesmo. Ou talvez bastasse apenas mais algumas pedaladas na bicicleta e eu teria te alcançado. E quem saberia? E quem, se eu nem sei pra que cidade você foi...

Só sei que entre as suas lembranças ficaram a dor, a dor que incomoda. A dor que até antes que eu lesse essas palavras, estava dormindo aqui dentro, quase esquecida, e que agora voltou com toda força. E sabe o que dói, é pensar na minha culpa, na falta de não te ver, não te sentir, não andar mais de mão dadas com você, não te fazer sorrir. Não saber pra onde você foi... E nem se um dia vai voltar pra casa.

E agora eu leio as palavras daquele tempo feliz. E em vez de ficar feliz de novo, eu choro. Porque faz falta, traz solidão, e percebo que só eu que nunca mais arranjei ninguém. Porque de certa forma eu sempre te esperei. E a verdade destas palavras aqui, é que essa parada de felicidade também acaba... Como tudo na vida.

10 Comentários

  1. Quando vemos o lugar ao nosso lado vazio, restam lembranças, palavras (escritas ou ouvidas), sensações remotas que apesar de lindas não nos alegra necessariamente! Sensivelmente tocante, sobretudo, para quem também convive com uma ausência.

    Grande Abraço.

    ResponderExcluir
  2. A coisa boa do tempo é que o futuro vira presente, o presente vira passado e o passado a gente esquece no futuro!

    Brigadinho pelo carinho moço ^^

    ResponderExcluir
  3. Oi, amigo Rick!
    Assim é a vida: estamos sempre à espera de algo ou de alguém que já nos fez ou poderá nos fazer felizes, mas nem tudo é como queremos ou aspiramos.

    Seu conto é romântico-dramático, com ótimo narrador intradiegético, linguagem bela, que dar um colorido especial à narrativa e, magistralmente conciso.
    Você tem deveras talento prosaico.

    Parabéns pelo talento!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Flor, dá uma apoio lá no meu post, preciso de sua opinião se for possível claro...qual a próxima MYcolor?

    http://la--lullaby.blogspot.com/2012/02/mycolor-pink.html

    Aguardo sua presença S2
    Malena

    ResponderExcluir
  5. Que texto lindo!
    Obrigada pela visita, estou seguindo aqui, se puder segue de volta (:

    bjs

    ResponderExcluir
  6. Que lindo, que belas lembranças e que saudade uma pessoa amada faz, você me transmitiu esses sentimentos nas suas palavras.

    http://iasmincruz.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Fico triste de saber como é se sentir assim mas sabe de uma coisa?Nós não podemos esperar, Cazuza já dizia que o tempo não para, bestas somos nós de querer não ser levado pela correnteza.

    Deixe-se se levar, quem sabe um dia as águas não se encontram de novo? (Ou você contrata um detetive?)

    Você não pode deixar um comentário no meu blog dizendo:cada coisa que você faz e tem medo, tanta coisa que... e falar "enfim" sem explicar nada. Quero um comentário mais completo, viu?rs.

    ResponderExcluir
  8. oii
    claro que visito
    acho até bom quando me pedem pra fazer uma visita, porque tenho estado muito ausente
    esse texto está divino!
    adorei
    Ah... obrigada pela visita
    beijos

    ResponderExcluir
  9. Eu já prefiro nem ler mais as coisas antigas pra não me trazer dor..

    e nao fique sem dar noticias ok moço?

    ResponderExcluir

Se você realmente leu, me importa sua opinião. Fique a vontade...