- O que faltou ser

E...
Se não fosse pela chuva e por terem dividido a mesma sombrinha, ele certamente não teria andado tão perto dela. Se não fosse pelo acaso de um encontro qualquer, ainda seria só saudades. E em pensar que por um segundo ele quase segurou sua mão, quase olhou em seus olhos e quase disse aquelas palavras ensaiadas umas mil vezes e nunca ditas. Mas a pressa pra não se molhar foi maior. Ou talvez não fosse pra ter sido mesmo hoje. Mais ele queria fosse. Tinha pressa pra isso. Afinal já faz um tempo que eles não saem dessa. E só ele pra convida-la pra tomar um sorvete no meio de toda aquela chuva. Com frio, e ainda por cima encharcado até a camisa. Mas é que se faz qualquer coisa, quando o motivo é esta perto de quem você ama. Às vezes, entre uma mordida e outra no sorvete, quando faltava assunto e havia aquele silencio, ele pensava em falar alguma coisa. Mas falaria o que? De que maneira começaria este assunto? Sempre fora tão tímido com as palavras esse menino. Algumas pessoas complicam tanto as coisas que são tão fáceis de falar. Talvez fosse só dizer tudo na lata e ela talvez entendesse de uma vez por todas o que ele não tinha coragem de dizer. Mas na dúvida, este moço escolheu falar de coisas engraçadas, só pra fazê-la sorri. Melhor voltar pra casa com a lembrança do seu sorriso, do que mais uma vez de coração partido. Depois disso ele imaginou o que deveria ter feito. Queria esta lá pra dizer: Foi só um encontro menino. Mas um em que não rolou nada. É a vida. E só assim mesmo pra eles se encontrarem. Era preciso que a vida resolvesse dar um empurrãozinho. Era preciso esta debaixo de um temporal pra que ele notasse o quanto ainda a queria. Foi nisso que ele pensou ao beijar sua bochecha. Enquanto seu ônibus se aproximava rapidamente da parada.

15 Comentários

  1. Obrigada pela visita em meu blog, Rick. Estou te seguindo aqui também. Abs ;)

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Opiniões não devem ser, atenuadas a nada que venha a ser seu tênue sentimento. Não se precisar saber, medir, quantificar os se lisonjear. Basta apenas sentir e acreditar que tudo o que escreve é seu por algum motivo. Tente usar mais frases suas, que depois de um tempo elas ficam mais fáceis de conjugar. E a concordância nem sempre será perfeita mais a forma de expressão será perfeita

    ResponderExcluir
  4. texto interessante. as coisas podiam ser mais simples, se as pessoas simplesmente fossem sinceras, né?

    sobre a fronha... eu não vi de coruja onde eu comprei, mas deve existir sim! heheh!

    ResponderExcluir
  5. Olá, muito lindo seu blog e você escreve muito bem, seguindo aqui >.<

    ResponderExcluir
  6. Rick,que grande talento fazer de um simples momento um grande texto!Amei!bjs,

    ResponderExcluir
  7. Essa coisa toda de dizer ou não dizer o que sentimos para a pessoa querida gera bastante assunto, não? haha. É um enorme paradoxo essa questão, porque dizer resolveria tudo, mas depois tem a questão a coragem etc e tal.
    Sou fanática assumida por textos assim como este teu, e achei tão doce! Parabéns!
    Obrigada pela visita ao meu blog.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Lindo, lindo, lindo.. às vezes a gente precisa mesmo desse empurrãozinho da vida.

    Bjs
    http://maviealeatoire.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Lindo demais. Como sempre, entrei na história! Fiquei imaginando se eu fosse a menina... Eu ia querer saber de tudo que o garoto sentia por mim. Não guarde sentimentos dentro de ti ok? ;) haha
    Beeeijos ;*

    http://fugaadarealidade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Lindo, lindo. Como sempre me imaginei dentro da história, sendo a menina que divide sua sombrinha com o garoto. Acho que se fosse eu, ia querer saber tudo o que ele sente. (: E talvez até corresponder a isso! Nunca guarde os sentimentos dentro de si ;) hihi
    Beeijos Rick ;**

    http://fugaadarealidade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Rick,
    Muito bonito seu texto. Eu gosto daqui e já tentei deixar comentário antes, não sei pq não consegui. Sua sensibilidade derrama pela tela.
    Um beijo
    Denise

    ResponderExcluir
  12. Olá Ricardo. Sou moderadora da ed. conto/história do Projeto Bloínquês e em nome da dona do projeto e dos demais moderadores vim avisar que as suas ideias deixadas como comentário lá no blog foram consideradas e que vamos discutir todas elas com calma visando melhorar a forma como postamos os textos vencedores. Agradecemos as dicas.

    Dani Ferreira.

    ResponderExcluir
  13. vou chorar :c ah, que angustiante.. mais muito lindo
    saudades de ti Rick

    ResponderExcluir

Se você realmente leu, me importa sua opinião. Fique a vontade...