Nor(mal)mente


Dirigia - sem rumo algum - para qualquer lugar distante no mundo. Hoje eu só queria me afastar, alcançar o mais distante possível de mim mesmo. Da convivência. Do dia a dia. Queria que os bons ventos me levassem pra longe, sem deixar pistas nem dicas de onde eu tenha parado... Por um breve momento, já muito distante, senti uma lágrima sendo roubada pelos ventos que sopravam forte das janelas abertas. A solidão emanava de qualquer canto da paisagem seca lá fora. E mal sabia eu por que estava chorando. A única coisa de que tinha certeza era que aquele momento - de algum modo - me fazia bem. Porque chorava como alguém que expulsava de dentro pra fora o que já não era mais saudável. Como alguém pessimista o bastante pra entender que se um dia tudo realmente estaria acabado e já que se vai morrer no final, não me cabe ficar guardando mágoas pra chorar mais tarde. (...) Era como uma noite de insônia, em que mesmo cansado eu não conseguia dormir. Como o segundo depois de pular da ponte – onde não há volta. Era como se meu grito se transfigurasse no mais profundo silêncio e ninguém me visse cair de encontro à realidade. Parecia que subitamente, o chão - seguro abaixo de meus pés – estivesse desabando e eu me visse constantemente caindo, sem conseguir ver o que me esperava lá embaixo. E não é como naqueles sonhos em que quando você está a um segundo do chão você acorda. Não, dessa vez era diferente. Nem mesmo eu sabia o que o que se passava comigo. Talvez fosse apenas um problema de mim comigo mesmo. Talvez não fosse nada. Talvez tudo. Tudo que eu guardei aqui dentro e que agora precisava ser digerido...

5 Comentários

  1. Quem sabe depois disso ele teria seus meses de descanso, não é mesmo?

    Sim, chegou os comentários Rick,estavam para ser moderados. E estou pensando em um novo nome, se tiver alguma ideia me diz pf...
    Saudades

    ResponderExcluir
  2. Adorei o teu blog, teus textos. Tudo tão lindo! Estou encantada, sem mais.

    ResponderExcluir
  3. bem como sempre, um texto que sempre me descreve sempre me vejo. e assim vc sempre fala de mim de qlqer jeito. amo-te !

    ResponderExcluir
  4. bem como sempre, um texto que sempre me descreve sempre me vejo. e assim vc sempre fala de mim de qlqer jeito. amo-te !

    ResponderExcluir

Se você realmente leu, me importa sua opinião. Fique a vontade...