- Querida solidão

E então eu decidir que hoje seria o dia em que eu colocaria as coisas em ordem aqui em casa. Estava mais que na hora de arrumar as coisas aqui dentro, mesmo sabendo que não viria nenhuma visita nos próximos anos... Deixei meus pensamentos e meu peito pra mais tarde, bem tarde, quando o cansaço batesse e eu cochilasse tentando ajeitar o que nunca teve concerto. Antes uma noite pra descansar a solidão do que ficar acordado tentando expulsa-la. Antes uma noite de sono, do que ficar pensando na vida e relembrando de coisas que eu sei que nunca iram voltar... No entanto, o quarto me esperava com uma cara de "e ai, vai encarar?". Olhei aquele amontoado de coisas fora do lugar e decidir nunca ter tido essa ideia. Então comecei pela pilha de CDs jogados na mesinha perto da cama, depois troquei as fronhas e a colcha que há meses permanecia bagunçada. Mas na parede esquerda, os livros ainda me esperavam com suas camadas e camadas de poeiras. Respirei fundo e comecei a limpa-los e organizá-los em cores. Os amarelos vieram primeiro, depois os azuis, os brancos... E os pretos - por serem mais antigos - ficariam no final da estante. "O Morro dos Ventos Uivantes" me lembrava tanta coisa, encostei na cama e o abrir em uma pagina qualquer. Aquele título pequeno, encravado sobre uma página negra envelhecida, me fez sorrir triste, me trouxe aquele aperto familiar de volta ao peito... "Nós não temos muito em comum e creio que não irá ler esse livro até o final, por isso estou te pedindo, com todo coração, que não pare no meio por se tratar de um começo chato e sem graça, que continue, ainda que a historia não lhe prenda. Prometo que aprenderá a gostar dele, assim como eu gostei... E sobre aquele assunto, eu sei que você sabe, sempre soube. Meus sentimentos agora te inclui moço, assim como meus planos, meus sonhos, meus desejos. E não sinta-se assustado comigo por dizer cedo demais que te amo, por favor, acredite, eu te amo sem nem saber porque. E será pra sempre, ainda que esse tal "para sempre" não exista de verdade." Durante aquele silêncio frio, senti uma, duas, inúmeras lágrimas caírem sem serem convidas. Com absoluta certeza, ninguém nunca me escreveu dedicatórias tão lindas. E por muito tempo, talvez pelo resto da vida, nunca mais receberia outras assim. E não culparia a vida dessa vez, muito menos o tempo. A culpa era minha, eu escolhi partir, eu escolhi sumir, fui eu quem abrir a porta pra solidão entrar...
Sempre somos responsáveis pelo que cativamos.

12 Comentários

  1. As vezes, somos nós que afastamos as pessoas não é mesmo?

    ResponderExcluir
  2. A vida é feita de escolhas e você escolheu abraçar a solidão e fazer dela sua casa, seu novo lar.

    A solidão, as vezes, é bom, mas, com o passar do tempo começa a doer e verdade.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Muitas vezes, afastamos as pessoas de nossas vidas, feliz ou infelizmente, mas, quem quer ficar, fica, volta, reconsidera, não larga do pé.

    Insubstituível é todo aquele que não se deixa ser esquecido.

    Obrigada pela presença constante!

    Um abraço,

    Suzana Guimarães - Lily

    ResponderExcluir
  4. " Ao longo da minha vida, ora ouvia dizer que somos substituíveis, ora ouvia dizer que não. Aprendi com elas, com todas as pessoas que cruzaram o meu caminho, que somos insubstituíveis, mas, se quisermos, conseguimos o contrário. São as pessoas que decidem se serão ou não substituíveis na vida da outra."

    Extraído de meu texto "Sobre ser insubstituível ou não".

    Suzana Guimarães - Lily

    ResponderExcluir
  5. Texto lindo, me emocionei. A decisão de estar sozinho ou ser sozinho é muito difícil, mas o tempo nos mostra o que foi melhor, e se não foi, ele ajeita.. basta ter paciência.
    Beijos, b.

    ResponderExcluir
  6. Muito lindo seu texto, não tem como a pessoa não refletir.


    “Que sejamos doce, ao ponto que o tempo nunca amargue. Que a felicidade esteja em nós, de um jeito que a tristeza nunca estrague.”

    Bjim

    ResponderExcluir
  7. A vida é assim mesmo. Cada um faz sua escolha, uns preferem enfrentar a dor.
    Ótimo texto!

    Abraços
    Dá uma visitinha lá no meu blog!

    ResponderExcluir
  8. Você tem uma escrita maravilhosa.
    Parabéns.

    ResponderExcluir
  9. Te add a minha lista de amigos blogueiros. Abração

    ResponderExcluir
  10. Heeeey, que lindo! Há dias estou tentando encontrar um blog exatamente como o seu para passar tardes lendo e me inspirando. Adorei seu cantinho e prometo passar aqui sempre. Bjos.

    ResponderExcluir
  11. Eu li esse texto, muito bom!

    ResponderExcluir
  12. oi ricardo, boa tarde td bem?? gostei mto do seu blog, achei mto fofo e criativo. gostaria d saber, onde vc arranjou esse template?? eu estou tentando arrumar uma legal pro meu pobre blog rsrs. pode me ajudar?!

    http://quem-dera-ser-poeta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Se você realmente leu, me importa sua opinião. Fique a vontade...