Não me ame com palavras

Hoje você disse no meu ouvido que me ama. Eu sorrir e quer saber, eu gostaria mesmo era de ter ouvido qualquer coisa indecente que me deixasse com vontade de transar contigo até de manhã, mas depois disso tudo que eu fiz foi levantar, vestir a roupa e sair no meio da noite numa cidade tão violenta.


Texto não recomendado para menores de 18 anos. Possui linguagem explícita.
Eu fiquei pensando no que você me disse e achei melhor não te procurar até você esquecer disso, porque muito provavelmente você deve está confundindo as coisas ou talvez você tivesse carente demais. É que eu não estou preparado pra esse tipo de coisa, amor. Claro que eu gosto de você, mas por favor, não me ame. Não me ame porque eu sei exatamente o que vem depois e sim, eu não tenho o mínimo de interesse em tornar tudo isso compromisso. E mas, se você realmente senti isso, talvez você não precisasse me deixar saber. O problema não é meu. Hoje, por exemplo, eu tenho vontade de ficar contigo por tempo indeterminado, mas amanhã talvez eu tenha vontade de sumir no mundo sozinho e você não estaria nos meus planos porque eu tenho essa enorme necessidade de ficar sozinho. Mas depois de amanhã talvez eu tenha a vontade de voltar por simplesmente não achar você próximo o suficiente pra sentir o cheiro e gosto que teu corpo tem. Tenho vontade que tudo continue exatamente assim, desse jeito, sem tirar nem pôr. Eu vivendo a minha vida e você a sua, cada um no seu quadrado, sem interferir na liberdade do outro. A gente se liga, se fala por bate papo, comenta as fotos um do outro, fala que tá com saudades, se encontra por ai, transa sem camisinha, compra um presente, sair pra jantar, dorme junto, deseja que o outro seja feliz, discuti opiniões contrárias sobre o mesmo assunto, fala de política, religião e ri muito um do outro. Vou ser aquele amigo que te ouvi e não fica calado quando você pedir opiniões sobre sua vida, que fala com prazer sobre as coisas pequenas e bobas do dia a dia, que faz carinho, que bagunça teu cabelo e que anda de mãos dadas quando sentir vontade. Eu quero ter você na minha vida mas vivendo vidas separadas e diferentes. Eu quero te procurar quando sentir vontade e apenas quando sentir. E quero que faça o mesmo. Quero apenas o natural e o sincero, sem compromissos e por favor, sem obrigações. Quero acima de tudo, ser teu amigo, o amigo que de vez em sempre você transe loucamente e diz no ouvido dele o quanto o pau dele é incrivelmente gostoso. O amigo que você conta tudo, tudo e inclusive sobre as cantadas que você recebe por aí. E que me confesse também que ficou muito afim de outra pessoa mas que no fim de tudo, ficou confusa e não soube bem o que fazer. Porque eu vou fazer exatamente isso contigo e não quero ter limites de confiança. Quero mesmo que você leve sua vida, faça tudo do seu jeito e tenha prioridade em si fazer feliz. Quero ser feliz do meu jeito e não abrir mão dos meus gostos pra te agradar ou te colocar como o centro de tudo. Quero somente e unicamente toda transparência e sinceridade da pessoa leve e verdadeira que você é. Quero ter você na minha vida por opção e não por necessidade. Quero que não me ame, não com palavras.

8 Comentários

  1. Eras eu sempre sou a outra pesso dizendo eu te amo para pessoas que não querem amor com palavras e isso pra mim é realmente deprimente kk. Mas admiro quem consegue desprender-se do apego e deixar o amor livre,...
    beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, não é legal ser a pessoa que diz que ama nesta situação e eu sei muito bem como é se sentir assim. Mas a gente aprende Lu, o amor tem que ser livre, sem pressões e sem obrigações. Quando isso acontece, a gente sabe que é amor, sabe porque é muito melhor sentir do que ouvir, enfim...

      Excluir
  2. Tá aí um texto que eu concordo bastante. Existem pessoas que são ótimas como amigos e não como namorados, pra quê estragar uma amizade com tantas cobranças de um relacionamento, nada é uma regra, algumas coisas funcionam assim outras não.
    Acho legal quem se desprende disso e eu adoraria ter uma amizade assim, e o engraçado é que eu conheço pessoas que mantém amizades assim, porém eu mesmo não as tenho. Hahaha

    ResponderExcluir
  3. Olá Ricardo,
    Quanta ousadia e, coragem. Mas, será mesmo assim ?!

    O "amor" Ricardo na minha opinião é um sentimento sublime carente de agasalho e aconchego nas horas sombrias e nas horas ensolaradas.

    Jamais, aceitaria um amor semelhante à sua forma de amar. Acredito que cada um de nós tem a sua forma de estar e ser. No entanto quando e se ama o ombro amigo, o carinho ansiado, o sexo consentido e as palavras amáveis não são obrigações são estados de alma desejáveis que fortalecem o amor por ambos desejado. Amar não é uma obrigação e ou opção. É um desejo continuo de afeição.
    Uma feliz noite.
    Ana

    ResponderExcluir
  4. Achei que tivesse enviado um comentário aqui, mas acho que ele acabou não chegando... Falava mais ou menos que as certezas sobre tudo o que é vivo, incluindo os sentimentos humanos, já nascem meio bambas. Esse seu texto me remeteu a um samba muito bonito composto pela Adriana Calcanhoto, chama "Vai Saber". ;o)
    Bom domingo e ótima semana por aí!
    Abração!

    ResponderExcluir
  5. Meta de vida é ser desprendida assim, acho lindo, mas eu sou aquela que fica TÁ ESCUTA A GENTE JÁ SE BEIJOU DEZ VEZES EM DEZ DIAS DIFERENTES VAMOS DAR O PRÓXIMO PASSO HEIN HEIN HEIN HÃM HÃM HÃM IF YOU LIKE IT PUT A RING ON IT

    ResponderExcluir
  6. Gostei muito do texto, principalmente pela forma que escreveste. :D
    Fiquei na dúvida (atemporal, antes mesmo de ler esse texto) se o que se espera é, ou apenas querer as coisas boas de um relacionamento, fugindo das necessidades emocionais do outro, já que se aproxima apenas quando lhe convém, talvez numa troca de favores; ou se é um desentendimento do que é um relacionamento sério/namoro. Nem sei se eu tenho envergadura moral pra isso, já que nunca namorei, mas ao meu ver este teria exatamente os pontos que vc ressaltou como discordantes: viver vidas onde o outro não seja o centro (o q considero diferente de fazer planos juntos), discutir e rir das coisas bobas e simples, ser amigo e transar quando se tem vontade, etc. Quando se ama (o que já suponho ser pré-requisito para estar num compromisso) alguns do itens citados vem naturalmente, como querer estar junto com frequência, abrir concessões (o que ñ significa deixar de gostar de algo). O namoro não torna (ou não deveria) tornar 2 em 1, vivendo colados e fazendo coisas q ñ sentem vontade. O namoro deveria ser o ápice da intimidade e da naturalidade. Então a maior parte do q vc disse que "só queria fazer" é o que um casal normalmente faria. Tirando a questão de ter outros parceiros (o que ainda pode ser acordado com o casal e acredito ser possivel, mas não pra mim).
    Falou o cara com 0 experiência nisso! xD Mas talvez seja por isso que ainda não namorei tbm kkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O namoro deveria ser o ápice da intimidade e da naturalidade. Deveria, mas raramente é querido. Tem coisas suas que seu parceiro nunca vai saber. Tem coisas suas que só seus amigos mais íntimos sabem. O que eu citei como "querer fazer" nem sempre é o que um casal normalmente faz. As pessoas abrem mão das coisas que gostam pra se submeter ao parceiro, as vezes até se afastam do grupo de amigos. O amor, hoje em dia, é muito preso, limitado, submisso. A maioria dos namoros são muito forçado ou mecânicos. O que o texto fala é de naturalidade na relação. Fazer as coisas somente quando sentir vontade é exatamente fugir dos acordos, pactos, ou contratos. É liberdade. E é justamente com medo de perder essa tal liberdade que as vezes é necessário viver relacionamentos "livres" pra não deixar de lado a sua vida individual quando você é feliz com ela...
      Enfim,

      Excluir

Se você realmente leu, me importa sua opinião. Fique a vontade...